Marque uma consulta (53) 3251-4111 | (53) 3228-6934

Terapia por Ondas de Choque

Tratamento disponível

O Tratamento Por Ondas de Choque (radiais ou focais) é uma nova modalidade de tratamento para os pacientes com problemas músculo-esqueléticos tais como tendinites que não melhoram com os tratamentos habituais, dores musculares crônicas e falhas na consolidação de fraturas.

Por que a maioria dos pacientes costumam melhorar com os tratamentos habituais porém muitos ficam com dor e limitação persistente ? Um das explicações é a formação de tecido chamado fibrose nas lesões crônicas com alteração dos tecidos dos tendões e músculos que perdem a elasticidade e sofrem diminuição da circulação sanguínea local gerando dor persistente e espessamento do tendão, deixando de ser somente uma inflamação (tendinite) passando para um estágio crônico degenerativo (tendinose).

As Ondas de Choque são um tipo de energia mecânica e não um choque elétrico, que penetra no tecido lesado e provoca um fenômeno chamado cavitação, onde microbolhas se rompem provocando microrroturas no tecido inflamado, determinando a liberação de substâncias anti-inflamatórias locais e também estimulando um aumento na microcirculação local. Este aumento de nutrição no local leva a uma progressiva cura natural do processo inflamatório-degenerativo. Existem vários modelos de máquinas que, por trabalharem com diferentes intensidades da onda aplicada no local de tratamento, podem tratar tanto lesões musculares como tendinosas ou ósseas. Podemos controlar a intensidade da energia com que as ondas de choque atingem o local a ser tratado. Quando utilizamos baixa energia produzimos alívio da dor e relaxamento muscular, quando se utiliza média energia ocorre a reparação tecidual e com alta energia pode ocorrer a estimulação óssea.

As ondas apenas atuam em tecidos lesionados e não causam nada em tecidos normais.

Tratamento cobrado a parte conforme adesão do paciente: Média de 5 sessões.
 
Indicações:
 
Bursites, epicondilites, fasceíte plantar, tendinite trocantérica, tendinopatias; Inativação de pontos gatilhos da síndrome miofascial; Esporão de calcâneo; Cervicalgia, dorsalgia e lombalgia aguda e crônica; Alterações musculares, como entorse, distensão, espasmo, e outros; Pseudoartrose (não união óssea ou retardo de consolidação); Reparo tecidual (feridas abertas, fibrose e outras); Celulite; Tratamento da dor; Síndrome patelar (joelho de saltador); síndrome do tibial anterior; Dores no ombro com ou sem calcificação.